História

Sobre o Restaurante Bacalhau do Porto


MAR PORTUGUÊS

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quere passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu

Fernando Pessoa.




No dia 13 de fevereiro de 1941 nascia na Castanheira do Vouga, Freguesia localizada no leste do Concelho de Águeda, Portugal, Deolindo, filho de José Maria Almeida e Maria Dias Abrantes. Irmão de Leonilde, Lúcia, Palmira, Acácia, Benilde, Amélia, Anarolino e Herculano. Uma família grande, sem muitas posses, mas que cultivava valores muito importantes. Desde cedo trabalhou na terra com os irmãos e estudou na escola construída por seu pai. A diversão era pouca um passeio de bicicleta ou a cavalo.

No dia 23 de junho de 1958 Deolindo Dias de Almeida, partia para a jornada de sua vida. Chegara à hora do caçula de nove irmãos navegar para o outro lado do oceano. Onde muitos já haviam se aventurado e historias contavam que a vida era mais próspera que no atrasado Portugal dos anos 50 onde mais da metade da população trabalhava na terra, tendo como únicas ferramentas à foice e a enxada. Estima-se que um milhão e meio de portugueses imigraram. Partiram para outros países da Europa e muitos se aventuraram em terras mais distantes, além mar.

Aos 17 anos chegava ao Brasil depois de longos dias no mar. Na tarde de 05 de julho de 1958 Deolindo embarcava em Santos no vôo da Varig com destino a Porto Alegre. Na recepção, na capital gaúcha, estava Anarolino, na época já conhecido como Lino. E como meu pai mesmo diz começou a trabalhar na mesma hora e nunca mais parou...

 

 

Ainda nos anos 50 trabalhou no antigo Bar Pelotense localizado na Rua dos Andradas, 1325. E em 1962 ao lado do cunhado Álvaro Monterio inaugurou o novo Bar Pelotense na Riachuelo, 1294. Os anos de comércio no centro de Porto Alegre foram muitos. Em 1965 estava na Lancheria Choupal localizada na Marechal Floriano Peixoto esquina com Salgado Filho.

Em 1966 casou-se com Rosa Maria Oliveira de Almeida. Uma jovem, também de origem portuguesa.

Em 1973 inaugurou a Adega do Minho na Riachuelo, 1415. Já pai de dois filhos Cláudia Patrícia e Cristiano trabalhou no Estaleiro Só coordenando a cozinha dos navios durante as viagens para testes em alto mar.

 

 

Sócio do Sport Clube Internacional desde os tempos dos Eucaliptos viu o grande colorado dos anos 70 ser campeão Brasileiro Invicto em 1979. Mesmo ano que começou a trabalhar na Freitas de Castro junto com seu concunhado Jose Marques Alves e mais tarde com os filhos Cristiano e Jorge na Lancheria Bom apetite.

Depois de anos trabalhando com bares e lancherias era chegada à hora de realizar o grande sonho. Um restaurante especializado em Bacalhau. O prato que aperfeiçoou durante toda vida. E em 7 de julho de 1998 inaugurou o Rei do Bacalhau na Avenida Ipiranga, 640, bairro Menino Deus, Porto Alegre. Este, que anos mais tarde, veio a se chamar Bacalhau do Porto. Nos primeiros anos, ainda na companhia do irmão Lino organizaram o cardápio da casa e que com o passar do tempo, experiência e viagens de volta a Terrinha foi sendo aprimorado.

 

 

Hoje em dia localizado na Cel. Bordini, 155, Auxiliadora, Porto Alegre o Restaurante Bacalhau do Porto conta com um variado cardápio de frutos do mar e uma excelente carta de vinhos. Um local agradável e aconchegante próprio para saborear a culinária lusitana. Sinta-se convidado a conhecer e desfrutar deste espaço que traduz os prazeres da boa mesa portuguesa.

 

 

É oferecido a todos os amigos e clientes um recinto familiar e acolhedor.

 

O restaurante tem capacidade para 56 pessoas (14 mesas).

 

Horários de atendimento:

Nas segundas das 19h às 23h.

De terças a sábados para almoço e jantar.

Aos domingos aberto somente para almoço.

 

RESERVAS E TELENTREGA SOMENTE POR TELEFONE!